UM GENERAL PARA SER LEMBRADO E UMA GUERRA PARA NÃO SER ESQUECIDA

“Eu procuro fazer as coisas de forma simples, focar no que precisa ser feito. Se começar a focar na dificuldade, ficar raciocinando na complexidade do problema, acaba perdendo tempo”, afirmou. “Há um planejamento, e temos que colocar em prática. Eu dou o rimo, de forma mais rápida, ou menos. Mas temos que andar pra frente, a coisa tem que ter dinamismo”

                                          General de Divisão Santos Cruz

General-Carlos-Alberto-dos-Santos-Cruz1

 

Carlos Alberto dos Santos Cruz é um militar brasileiro. E um cidadão que o resto do mundo conhece  ( e reconhece) melhor que o seu próprio país.

No comando da missão de paz na República Democrática do Congo (MONUSCO) em 2013, estiveram sob sua coordenação de cerca de 23,7 mil militares de 20 países.  Pela primeira vez desde a Guerra da Coréia (1950-53), a ONU (Organização das Nações Unidas) autorizou o uso de força militar para fazer cumprir suas resoluções.

Sob Cruz, deu-se  o fim do confronto com o Movimento 23 de Março (M23), o maior grupo guerrilheiro do país africano,  que acabou por  encerrar a luta armada nos fins de 2013.

Pouco conhecido no Brasil fora dos meios militares, a missão bem sucedida de  Santos Cruz foi descoberta pela rede de televisão árabe Al Jazeera e revelada ao resto do mundo em documentário de 25 minutos.

Profundamente humanitário em sua visão de mundo , é dele uma das frases que talvez  mais defina  a natureza do  trabalho conduzido por civis e militares a serviço da ONU:

“A gente nunca se acostuma com o sofrimento humano”

(Fontes: Portal G1 ,  Revista Istoé e Rede Al Jazeera)

Posted in Uncategorized and tagged , , , , .

3 Comments

  1. Comentario de admiración sobre el General Santos Cruz
    Ante todo la conciencia del hombre debe prevalecer, cuantos personajes se han involucrado con verdadera vocación en hallar ese paradigma de paz y hermandad, la forma de visualizar he interpretar los múltiples conceptos, esquemas o modelos del comportamiento de la humanidad en lo psicológico y porque no lo filosófico y estas reflejan en el desarrollo de las diferentes sociedades y de todo aquello que se integra e influye en lo económico , intelectual, científico cultural, religioso etc. y cuando se aplica este paradigma puede modificar o evolucionar según las situaciones una mejor convivencia entre los pueblos. La ONU seguramente debe haber reconocido al General Santos Cruz todo su aporte, dedicación y trabajo en beneficio de un pueblo en conflicto, y su cita lo demuestra con gran capacidad y lealtad:… “Trato de hacer las cosas simples, se centran en lo que hay que hacer. Si usted comienza a centrarse en la dificultad para conseguir motivación de la complejidad del problema, perdiendo el tiempo”, Dijo. “Hay un plan y tenemos que ponerlo en práctica. Doy la rima, más rápido o menos. Pero tenemos que salir adelante, la cosa tiene que ser DINAMISMO”.
    Un personaje único y valioso, Jefe de mi vivencia laboral dijo: “No perdamos tiempo hablando solo de los problemas, llevemos las soluciones y ganaremos tiempo”… lo relaciono con la cita del General Santos Cruz.

  2. Pingback: SE O DUQUE DE CAXIAS NÃO FOSSE BRASILEIRO | Robinson Farinazzo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *